Prefeito de Lucas decide manter comércio aberto e aumentará fiscalização para combater aglomerações

O prefeito Miguel Vaz disse, na manhã desta terça-feira, em entrevista coletiva, que após reunião com representantes do Ministério Público decidiu manter o decreto municipal, que atende as recomendações do governo do Estado e os serviços essências em funcionamento com base na relação definida pelo governo do Federal após a presidente do Tribunal de Justiça, desembargadora Maria Helena mandar os municípios com risco muito alto de contágio da Covid no qual Lucas do Rio está incluso adotarem quarentena obrigatória. “Decidimos seguir com o decreto municipal. Ou seja, as pessoas podem continuar a trabalhar assim como ontem, até uma nova decisão. Vamos inclusive, intensificar as fiscalizações para que não ocorra aglomeração. Vamos dobrar o número de fiscais para que as pessoas possam respeitar, mas também precisamos respeitar aqueles que precisam trabalhar e gerar empregos”, afirmou Vaz.

O prefeito explicou que a decisão ocorreu após avaliar das medidas já adotadas no decreto municipal. “Entendemos que o nosso decreto que prevê os serviços essências com base no decreto federal está sendo atendido. Nós também tivemos apoio dos vereadores com relação a esse decreto. Todos foram favoráveis. Nós defendemos a Saúde, mas também defendemos as pessoas trabalharem e as empresas gerarem empregos. Dessa forma, as pessoas poderão sustentar suas famílias. Entendemos que o momento é de muita responsabilidade de cada um dos luverdenses, que tomem os cuidados dessa situação crítica que vivemos”.

Miguel Vaz reforçou ainda que já foram tomadas todas as mediadas para melhorar o atendimento ao Covid. “Desde a disponibilização de leitos de UTIs, colocamos mais leitos de enfermarias no hospital São Lucas, colocamos equipamentos de hemodiálise para atender os pacientes em estado mais grave. Agora, por último transformamos o PAM em atendimento 24 horas e disponibilizamos mais 15 leitos de enfermarias que podem ser usados pelos cidadãos luverdenses. Nesses últimos dias, por parte da iniciativa privada tivemos doação para compra de respiradores e 5 mil kits para teste rápido. Dessa forma, os médicos podem receitar medicamentos e atacar a doença logo no início”.