Orçamento de Lucas do Rio Verde está previsto em R$ 263 milhões para 2018 A Câmara de Vereadores reduziu o orçamento próprio e destinou quase R$ 1 milhão para custear projetos como o Castramóvel e a ampliação da Anjo Gabriel

Publicado em 14 de novembro de 2017 às 05h:56

A Câmara de Vereadores de Lucas do Rio Verde realizou na manhã desta segunda-feira (13), a audiência pública de apresentação e debate sobre o planejamento do município para 2018 e para os próximo quatro anos.

O orçamento total estimado para o próximo ano é de pouco mais de R$ 263 milhões. O valor inclui também os repasses e convênios firmados com o Estado e governo federal.

Segundo o relator da Comissão de Finanças, Orçamento e Fiscalização, vereador Airton Callai (PSB), apesar do aumento do valor em relação a 2013, as despesas também aumentaram na mesma proporção, reduzindo o valor destinado aos investimentos.

“Destes R$ 263 milhões, apenas cerca de 6% serão destinados a novos investimentos. Se no passado, a Obras era a grande tomadora de despesas por causa das construções, hoje, ela é metade do valor investido na saúde.”

A Secretaria Municipal de Educação ficou com o maior orçamento da administração, aproximadamente R$ 81 milhões, seguido pela Saúde com R$ 61 milhões e Infraestrutura e Obras, com R$ 30 milhões.

Além das estimativas de receitas e despesas, foram apresentadas as emendas realizadas pelos vereadores, em relação ao orçamento. No total foram 27, sendo 20 aditivas e sete modificativas.

De acordo com o vereador, além de levar ao Executivo os anseios da comunidade, o Legislativo está destinando quase R$ 1 milhão do orçamento próprio, para custear as emendas.

Entre as propostas, está a implantação do projeto Castramóvel, no qual serão investidos R$ 350 mil, a ampliação do Centro de Educação Infantil Anjo Gabriel (R$ 250 mil) e a destinação de recursos para investir na agricultura familiar.

“A Câmara de Vereadores foi a grande doadora de recursos. Foram retirados do orçamento do Legislativo, com a compreensão de todos os vereadores, R$ 944 mil. Este valor será investido na saúde, educação e no apoio as entidades”, ressaltou Callai.

As emendas elaboradas pelos vereadores seguem para a análise dentro das comissões. A previsão é que o projetos da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e a Lei Orçamentária Anual (LOA), referentes a 2018, sejam votados ainda no mês de novembro.

A audiência pública de apresentação dos instrumentos de planejamento do município contou com a participação de vereadores, secretários municipais, representantes de entidades e comunidade.

Além das despesas e receitas estimadas em cada setor, o vereador também apresentou

“O nosso orçamento aumentou, mas as despesas estão aumentando cada vez mais.

“Em anos anteriores, a Obras era a grande tomadora de despesas por conta das novas construções, hoje, ela é a metade do valor investido na saúde.

quer dizer, o poder de investimento do município está diminuindo. Nós teremos no ano que vem, apenas cerca de 6% desse valor, destinado a novos investimentos.” A apresentação dos dados e projeções faz parte do planejamento do em relação ao ano passado houve um aumento.

Foram apresentadas 27 emendas, sendo 20 aditivas e 7 modificativas.

 

Ascom/Marcello Paulino