Liberação do prédio da UPA passa a depender do TCU

Publicado em 06 de dezembro de 2017 às 07h:59

Uma comitiva de Lucas do Rio Verde, formada pelo prefeito Flori Luiz Binotti, o presidente do legislativo Jiloir Peliccioli e a vereadora Cristiane Dias, foi até Brasília-DF, nesta terça-feira, para uma audiência com o ministro da saúde Ricardo Barros, onde foi tratado sobre a utilização de um prédio público construído com recursos da saúde e que está sem ser utilizado a exatamente um ano. O prédio foi construído para abrigar uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento), porém até hoje não obteve a liberação para funcionar.

O Ministro da Saúde, Ricardo Barros, garantiu que a questão será encaminhada ao Tribunal de Contas da União (TCU), para ser analisado. Se aprovado, o prédio poderá ser utilizado para qualquer finalidade pública, voltada a saúde. “Nós responderemos ao Tribunal de Contas da União (TCU), que queremos liberar o objeto do convenio, dos prédios da saúde pública, seja UPA, seja UPS, seja CAPS, ou qualquer prédio que tenha sido construído com recursos da saúde, pode ser utilizado para qualquer finalidade da saúde. Esperamos que o Tribunal de Contas aceite nossa provocação e aprove esse acordo para liberar os prefeitos a pôr os prédios públicos para funcionar. Esses prédios foram feitos com recursos públicos e não estão servindo a comunidade.

O presidente do legislativo de Lucas do Rio Verde, vereador Jiloir Peliccioli (Mano), encampou a batalha pela liberação do prédio e acredita que após a reunião de ontem a situação se defina. Mano disse ter saído esperançoso do encontro com o ministro. “Eu entendo que tivemos um resultado positivo na reunião que tivemos com o ministro da saúde, porém agora dependemos da decisão do TCU. Nós estamos andando passo a passo e tudo tem a hora certa. A nossa expectativa é de nos próximos dias, ou mais tardar em janeiro de 2018, nós tenhamos uma definição, até porque nós precisamos colocar esse prédio em funcionamento. Nós precisamos levar para lá, os serviços da saúde, ou seja, a UPA 24h, ou o PSF central 24h” garantiu Jiloir Peliccioli.

O prefeito Flori Luiz Binotti, afirmou que a intenção do município é transferir para o local, toda a estrutura do PSF central, mas não descarta a implantação de uma UPA. “Saímos bastante satisfeitos da reunião que o presidente Mano participou, a vereadora Cristiane e fiquei muito contente especialmente com o que ouvi do Ministro Ricardo Barros, que colocou prazos e urgência, para que esta questão seja resolvida. Nossa intenção é utilizar aquele prédio para a instalação do PSF Central. Queremos que o município utilize aquela estrutura para a saúde, mas não necessariamente para a UPA, porque os dados são ruins, onde o município terá que arcar com mais um valor alto, por mês o que não seria inviável” disse o prefeito Binotti.

Diário de Lucas