Corpos de professoras do IFMT que morreram em tragédia na BR-163 serão sepultados em Cuiabá e Sinop

Publicado em 09 de outubro de 2017 às 06h:52

O velório das professoras Ruthy Meyre Costa Fonceca e Mariele Cunha de Miranda teve início na manhã deste domingo (08), em Cuiabá e Sinop, respectivamente. As duas morreram no último sábado (07), num grave acidente envolvendo um Renault Sandero e um caminhão, na BR-163, que também tirou a vida do esposo de Ruthy, Eder Luiz de Almeida.

Por meio de nota, o Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) se disse consternado com o ocorrido e informou que o velório da professora Mariele estava sendo realizado desde a madrugada deste domingo, na Funerária Luz e Vida, em Sinop, e que o sepultamento da servidora também seria no município.

Já a professora Ruthy e seu esposo Eder seriam traslados para Cuiabá. O velório de ambos foi realizado na Capela Jardins e o sepultamento estava previsto para o final da tarde, no Cemitério Bom Jardim.

O casal Ruthy e Eder deixa uma criança pequena e uma filha adolescente. Mariele Cunha de Miranda também deixa uma criança e uma adolescente.

De acordo com informações preliminares da Polícia Rodoviária Federal (PRF), a colisão aconteceu por volta de 5h. O caminhão, com placa de Rondonópolis, seguia pela pista sentido norte, quando bateu frontalmente com o veículo, que vinha pelo sul. O Sandero tinha placa de Cuiabá.

Logo após o acidente, a concessionária compareceu ao local e realizou atendimento às vitimas, além de remover os veículos da via. O tráfego do local foi interditado às 7 horas para procedimentos da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec).

As duas professoras tinham mestrado em Ciências Florestais e Ambientais, e ministravam aulas no IFMT no campus de Sorriso, desde 2013.